sexta-feira, 23 de outubro de 2009

Tempo | manhã de sexta-feira



[Leonard Cohen, fotografado por não sei quem]


Sol entre nuvens.

Mas as nuvens brilham.

Sol por trás das nuvens.

As nuvens se movem.

Deslizam.

Da esquerda para a direita.

Nuvens grandes. Como seios. Ao deslizarem sobre si mesmas, se arrastam, sem arrastar os coqueiros miúdos e o canto do pássaro.

– Na garganta.

Até os prédios tornam-se minúsculos diante de nuvens tão grandes assim.

Até as palavras somem diante de um silêncio que devora todo o inútil, todo o supérfluo, todo o excesso.

Só o amor merece exceder – gota d’água, tsunami.

As nuvens se espalham sobre a Cidade. Anel, abraço. Não vai chover. É tempo de verão. A manhã amadurece antes do tempo. Sem cair.




Um comentário:

Sara Warjde disse...

cohen - 78 anos de vida iluminada. notei a influencia dele no seu texto, se me permite, e gostei bastante.