terça-feira, 25 de novembro de 2008

síndrome de abstinência | dia 4 | a obscuridade do terremoto e do eclipse



“E depois, serão assim tão numerosos, os bravos que sabem afrontar pacientemente, com uma energia renovada de minuto em minuto, a dor, a tortura, sempre presente, que não se cansa, em vista de um benefício vago e longínquo?”

Charles Baudelaire > Torturas do ópio > O ópio > Os paraísos artificiais – Porto Alegre: L&PM Editores, Primavera de 1986

Um comentário:

LSD disse...

E os que não são bravos e, portanto, não sabem afrontar nada PACIENTEMENTE?