sábado, 21 de junho de 2008

Estragon


[Volonté]



palavra
tronco
e membros.


[Napoleão de Paiva, corpo humano, Apenas chegaram, Alexandria: Barriguda, 1999]

3 comentários:

Anônimo disse...

vc Pozzo?

midc disse...

não respondo a anônimos...

Napoleão de Paiva Sousa disse...

Mário,
Só você.
Finalmente a revelação dos pés do poeta peripatético. Uma curiosidade. Quantos não acreditavam ser quase impossível vê-los em repouso, explícitos, depois de assistir, durante décadas, o dono deles, nosso vate mais estimado, cortando impaciente a cidade em todos os sentidos e direções, com uma determinação de operário. Ao que parece na fotografia, sem calos, inclusive. Por isto, contrariando todas as expectativas, sigo acreditando que a classe operária ainda chegará ao paraíso.
Vladimir e Estragon continuam esperando.
Como vagamundos. Como dândis( difícil, não?).